Simpósio Império e Colonização


 

ATENÇÃO!

Estamos com dificuldades técnicas para acessar o e-mail do grupo de pesquisa.

Qualquer dúvida, por favor escreva para mario.francisco.simoes@usp.br.

Desculpem o transtorno.

 

A segunda edição de nosso simpósio, que irá ocorrer no Departamento de História (USP) entre 26 e 28 de setembro de 2017, procurará discutir novamente as noções de Império e de Antigo Sistema Colonial, tomando o vasto espaço das conquistas lusas e destacando a dinâmica específica das estruturas coloniais da América Portuguesa.

As grandes polêmicas entre as interpretações da colonização moderna que dominaram a cena nos anos 70, muitas vezes excessivamente teóricas, foram momentaneamente ofuscadas por uma certa historiografia cultural, influenciada pela chamada "nova história", mas voltaram a ocupar a primazia das discussões em meados dos anos 90, renovadas por pesquisas de caráter fortemente empírico, marcadas também por um retorno ao estudo das questões político-administrativas.

Se o nexo colonial, nas bases do que se convencionou chamar de Antigo Sistema Colonial, marcou profundamente a sociedade que se constituiu nas partes do Brasil e teve como aspectos centrais questões de cunho econômico, nem por isso estas podem ser estudadas isoladamente. Faz-se assim necessário o estudo também de variados aspectos políticos e culturais (religião, mentalidades etc.), que em combinação com os primeiros moldaram nossa formação colonial.

O nosso objetivo, portanto, é abrir espaço para pesquisas que tornem mais complexa a ideia de colônia e metrópole; seja introduzindo as dimensões intercoloniais de relação, como, no caso do tráfico, a dinâmica atlântica; seja analisando as diferentes formas de organização das relações entre a Metrópole e suas colônias, no espaço e no tempo. De outra parte, buscamos também destacar os elementos que embasam a conexão das relações entre as partes do Império, ressaltando sua dimensão plural, mas afastando a visão de descerebração ou de ausência de centralidade.

Pretende-se discutir como a grande produção mercantil e seu complexo de sustentação  o tráfico e o abastecimento interno  assim como a variedade dos arranjos sociais e a flexibilidade das instituições administrativas, capazes de estabelecer um complexo sistema de relações horizontais e verticais com as diferentes instâncias do poder central, intermediário e local, não anulan, mas antes, exigem a compreensão do Sistema Colonial.

 

CONFIRA A NOSSA PROGRAMAÇÃO!

 

 

 

A Cartografia do Brasil nas Coleções da Biblioteca Nacional de Portugal (1700-1822)

SEIXAS, Francisco de. Capitanias do Brasil. fl. ca. 1767. In: Noticias dos Titulos do Estado do Brazil e de seos limites austraes e septemtrionaes no temporal. Ver: A Cartografia do Brasil nas Coleccções da Biblioteca Nacional (1700-1822). Disponível em:  http://purl.pt/103/1/catalogo-digital/registo/317/317.html

 

Outros sites sugeridos

Cátedra Jaime Cortesão

Biblioteca Brasiliana Mindlin

Departamento de História (FFLCH-USP)

PPG História Econômica (FFLCH-USP)

 

Para entrar em contato

antigosistemacolonial@usp.br

[Atualização: estamos com dificuldades técnicas para acessar o e-mail do grupo. Qualquer dúvida, por favor escreva para mario.francisco.simoes@usp.br]

 

Nossa localização

Cátedra Jaime Cortesão,

Av. Prof. Lineu Prestes, 338.

Cidade Universitária.

05508-900. São Paulo - SP.